Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança

Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança                                                                                  Foto Leandro Moraes (O Boi Voador)

Em temporada de duas semanas, de 11 a 20/7 (quintas, sextas e sábados, às 19h), a Plataforma Shop Sui apresenta no Centro de Referência da Dança – CRDSP – espetáculo com duas coreografias: a remontagem de “Meu Doce Estimado”, criada originalmente para o Cesta de Dança, projeto da Quasar Companhia de Dança (2012), e o mais recente trabalho, “O Boi Voador”,solo de Fernando Martins, bailarino e diretor da companhia. A entrada é gratuita. “Meu Doce Estimado” fala da relação entre dois indivíduos estagnados pelas dificuldades de comunicação, que os levam para um universo mais visceral onde atitudes humanas e animais se perdem na sua realidade estabelecida. Inspirado em fragmento de texto de Clarice Lispector e em ação da própria escritora, que reescreve seu próprio texto, re-lido entre haspas em outro…

WEB TV VISUAL ARTV- SESC CAMPO LIMPO - REPERTÓRIOS, COM A BRAVA COMPANHIA






Sesc Campo Limpo apresenta
Repertórios, com a Brava Companhia


O projeto Repertórios do Sesc Campo Limpo - que contempla espetáculos, palestras e workshops com companhias de teatro e dança representativos no cenário cultural nacional ou internacional – apresenta, em julho, o trabalho teatral da Brava Companhia.

São dois espetáculos - A Brava (de 23 a 25/07, de quinta a sábado) e Este Lado para Cima – Isto Não É Um espetáculo (de 30/07 a 01/08, de quinta a sábado) – e uma oficina, O Teatro como Ferramenta de Intervenção na Realidade (21 a 24/07), cujas inscrições estão abertas. Todas as atividades são grátis.

O teatro desenvolvido pela Brava Companhia vem sempre amparado por estudos teóricos que possibilitam um olhar mais profundo sobre a realidade ao seu redor e uma melhor compreensão da função social do teatro frente a essa realidade.

Espetáculo: A Brava
23, 24 e 25/07. Quinta e sexta, às 20h. Sábado, às 20h30
Grátis. Classificação: 12 anos. Duração: 80 min.

O espetáculo A Brava, inspirado na história de Joana d’Arc, propõe uma reflexão sobre objetivos, rumos e escolhas; e também sobre a nossa postura diante das consequências advindas dessas escolhas. Nesta montagem da Brava Companhia, a saga da heroína francesa é mostrada de forma épica, valendo-se de recursos como música, interação com o público e referências das culturas popular e pop, agregadas às situações cênicas que exploram o drama e um humor anárquico, para construir paralelos com os dias de hoje. As “vozes” ouvidas por Joana se tornam símbolos que podem ser interpretados como a crença em objetivos ou a ousadia de trilhar caminhos contrários a padrões pré-estabelecidos pela sociedade.

Ficha técnica – Criação: Brava Companhia. Dramaturgia: Brava Companhia e Fábio Resende. Direção geral e musical: Fábio Resende. Atores: Rafaela Carneiro, Fábio Resende, Márcio Rodrigues e Ademir de Almeida. Músicas: Brava Companhia. Concepção de cenário: Fábio Resende. Projeto de cenário: Mundano. Figurino: Ligia Passos e Karla Maria Passos.

Espetáculo: Este Lado Para Cima – Isto Não É Um Espetáculo
30 e 31/07 e 1º/08. Quinta e sexta, às 20h. Sábado, às 20h30
Grátis. Classificação: 12anos. Duração: 70 min.

No enredo de Este Lado Para Cima – Isto Não É Um espetáculo, a ordem e o progresso fundamentam o surgimento de mais uma cidade. Os seus habitantes vivem em razão do trabalho e sonhando com um futuro de felicidade. Até que uma crise, causada pelos próprios dirigentes, acomete essa metrópole, ameaçando a ordem estabelecida e obrigando à criação do “mais avançado artefato da tecnologia humana”: A Bolha. Do céu, ela vigiará tudo e todos para manter as coisas como sempre foram. O poder do mercado e o controle das relações humanas que ele exerce são discutidos com um humor anárquico neste trabalho da Brava Companhia, construído para apresentação em rua ou espaços alternativos.

Ficha Técnica – Criação: Brava Companhia. Direção e dramaturgia: Fábio Resende e Ademir de Almeida. Atores: Cris Lima, Henrique Alonso, Joel Carozzi, Luciana Gabriel, Marcio Rodrigues, Rafaela Carneiro, Sérgio Carozzi e Maxwell Raimundo. Cenários, adereços e figurinos: Cris Lima, Débora Torres, Joel Carozzi, Marcio Rodrigues, Rafaela Carneiro e Sérgio Carozzi. Concepção sonora: Brava Companhia. Produção: Kátia Alves

Oficina: O Teatro como Ferramenta de Intervenção na Realidade
21 a 24/07. Terça a sexta, das 14h às 18h
Inscrições na Central de Atendimento. 20 vagas.
Classificação: 16 anos. Grátis.

O teatro é apenas uma das formas utilizadas pela Brava Companhia para a reflexão crítica e intervenção estética e política na realidade. A criação de espaços alternativos de discussão dos problemas da sociedade, assim como a utilização da linguagem teatral na formação de atores críticos. São práticas aplicadas pelo grupo para efetivar o que entende como a função social de sua arte: contribuir com a transformação da realidade atual em uma outra, onde haja condições dignas de vida para todos.

Nesta vivência formativa o grupo propõe o compartilhamento de algumas ferramentas teóricas e práticas utilizadas em seus processos de estudo e criação, de modo a inserir os participantes em uma experiência que compreenderá a análise crítica de determinados aspectos da vida social, e a transformação dessa análise, por meio da linguagem teatral, em uma intervenção estética no espaço público. Elementos do repertório técnico teatral construído pela companhia ao longo dos seus anos de pesquisa (fatores de movimento, ocupação de espaço na rua, improviso, humor e o teatro épico) serão abordados e experienciados por meio de exercícios e jogos, que terão como mote temático um olhar crítico sobre o mundo. E como resultado terá a construção coletiva de um experimento de agitprop (abreviativo de agitação e propaganda) - ideia do marxismo-leninismo que diz respeito à disseminação das ideias e princípios do comunismo entre trabalhadores, camponeses, estudantes, intelectuais e formadores de opinião na sociedade em geral.

Brava Companhia

O grupo fundado em 1998 na zona sul de São Paulo, a partir de 2007 adota o nome Brava Companhia. O início dos trabalhos é marcado por uma pesquisa da linguagem teatral que tinha como principais eixos: corpo, jogo e improviso, aliados ao desejo de fazer um teatro que chegasse à população com pouco ou nenhum acesso a essa linguagem. Vieram oficinas teatrais em bairros, encontros e mostras de teatro, apoio à criação de outros grupos e espaços de cultura e intercâmbios. A Brava participou da mobilização popular pela ocupação de um galpão público abandonado no Parque Santo Antônio, hoje conhecido como Sacolão das Artes, aberto em 2007. Em 2008, a Companhia foi contemplada pela Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo. O humor (como ferramenta para o exercício da crítica e da autocrítica) e a opção pela rua (como forma de intervenção política no espaço público) ganharam maior atenção nas pesquisas, além de intensificarem os experimentos no teatro épico brechtiniano, principalmente na exploração cênica do gestus e no entendimento da função social do teatro. Em 2009, a Brava teve quatro indicações para o Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro e foi contemplada na categoria Melhor Espetáculo Apresentado em Rua com A Brava, que também foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Direção. Em 2010, estreou as peças O Errante e Este Lado Para Cima – Isto Não É Um Espetáculo. Foi novamente contemplada com a Lei de Fomento ao Teatro, e o Sacolão das Artes recebeu o Prêmio Cultura Viva. A Braça Companhia criou 10 espetáculos e dois experimentos cênicos, que circularam por bairros paulistanos, mostras e festivais pelo país e no exterior. Os mais recentes são: A Brava, inspirado na história de Joana d’Arc, O ErranteEste Lado Para Cima – Isto Não É Um Espetáculo e Corinthians, Meu Amor – Segundo Brava Companhia. Em 2013, desenvolveu dois experimentos cênicos inspirados em textos de Reinaldo Maia - Quadratura do Círculo e Júlio e Aderaldo – Um Dia na Vida de Dois Sobreviventes - e, em 2014, estreou o espetáculo JC.

SERVIÇO

Sesc Campo Limpo
Horário da Unidade: Terça a sábado, das 13h às 22h. Domingos, das 11h às 20h.
Endereço: Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120.
Campo Limpo – São Paulo/SP. Tel.: (11) 5510-2700

IMAGENS








Informações à imprensa

Sesc Campo Limpo
Juci Fernandes e Silvio Basilio
Tel: (11) 5510-2735 - imprensa@campolimpo.sescsp.org.br

Verbena Comunicação
Eliane Verbena / João Pedro / Bia Salgado
Tel: (11) 2738-3209 / (11) 99373-0181 - verbena@verbena.com.br

Comentários