Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - PINA - DOMINIQUE GIGLIOT LE JUMELAGE (A geminação), 2018

VISUAL ARTV - Cia Perversos Polimorfos encerra temporada de “Shine”, na Casa do Povo


Cia Perversos Polimorfos encerra temporada
de “Shine”, na Casa do Povo
Imagem inline 1
                                                                                      Foto Fabio Furtado
A Cia Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali, encerra nesta semana, entre 9 e 12/2 (quinta a domingo, sempre às 20h), na Casa do Povo, a temporada de “Shine”, trabalho que surge como tentativa de entreter tomando em consideração a absoluta descrença na coerência e na ordem.
“Shine” cria uma ficcionalidade a partir do conceito de reflexo em suas várias acepções – tanto no sentido do efeito produzido pela irradiação luminosa emitida por um corpo, como daquilo que evidencia algo, ou ainda como a capacidade de reagir de forma rápida e eficiente em resposta ao estímulo de um receptor sensorial. São danças de destruição e renovação oriundas de indagações acerca da trajetória da companhia e do contexto em que está inserida. Sob quais parâmetros se pode continuar criando?
O trabalho foi desenvolvido em meio a um processo que abarcou uma série de intervenções colaborativas com as artistas Beatriz Sano, Rafaela Sahyoun e Tarina Quelho, bem como as discussões a partir do tema ‘economia da dança’, promovidas nos “Ensaios Perversos”, todas, ações previstas no projeto “Retrovisor”, contemplado pelo 19º Fomento à Dança, cujo título também contribui para desvendar o sentido desta composição coreográfica, uma vez que “Shine” traz questionamentos sobre o momento em que a Companhia olha para frente levando em conta sua trajetória, com trabalhos como “Imagem-nua e outros contos” (13º Fomento à Dança); “Movimento para um homem só” (16º Festival Cultura Inglesa) e “Banksy Bang” (Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2010), ambos inspirados na obra do artista de rua britânico Banksy; “Ânsia” e “Phaedra’s Love”, com base na obra da dramaturga Sarah Kane; até a inaugural (Proto)HamletMachine”, sobre o texto de Heiner Müller.
“Shine” traz no elenco Carolina Canteli, Danielli Mendes, Danilo Patzdorf, Gabriel Tolgyesi, Jerônimo Bittencourt e Josefa Pereira. O desenho de luz de Aline Santini tem assistência de Maurício Shirakawa; Lourenço Rebetez responde pela trilha sonora. A direção e o figurino são de Ricardo Gali, com a assistência de direção de Patrícia Bergantim.
____________________
Serviço: “Shine”, com a Cia Perversos Polimorfos, dirigida por Ricardo Gali.
De 9 a 12/02 (quinta a domingo), às 20h
CASA DO POVO
Rua Três Rios, 252 - Bom Retiro
São Paulo - 
(11) 3227-4015
Lotação: 48 pessoas
Duração: 90 min
Classificação: 16 anos
Ingressos: Grátis - Retirada uma hora antes ou reservas pelo email: reservashine@gmail.com

 Imagens 





Ficha técnica:
Direção: Ricardo Gali
Assistente de Direção: Patrícia Bergantin
Intérpretes-criadores: Carolina Canteli, Danielli Mendes, Danilo Patzdorf, Gabriel Tolgyesi, Jerônimo Bittencourt e Josefa Pereira.
Desenho de Luz: Aline Santini
Assistência de Iluminação: Maurício Shirakawa
Trilha Sonora: Lourenço Rebetez
Figurino: Ricardo Gali
Registro audiovisual: Fabio Furtado.
Produção administrativa: Cais Cultural - José Renato Fonseca
Produção executiva: Rafael Limongelli


Informações Adicionais:
Elaine Calux – assessoria de imprensa
11 33689940 | 964655686

Comentários