Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança

Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança                                                                                  Foto Leandro Moraes (O Boi Voador)

Em temporada de duas semanas, de 11 a 20/7 (quintas, sextas e sábados, às 19h), a Plataforma Shop Sui apresenta no Centro de Referência da Dança – CRDSP – espetáculo com duas coreografias: a remontagem de “Meu Doce Estimado”, criada originalmente para o Cesta de Dança, projeto da Quasar Companhia de Dança (2012), e o mais recente trabalho, “O Boi Voador”,solo de Fernando Martins, bailarino e diretor da companhia. A entrada é gratuita. “Meu Doce Estimado” fala da relação entre dois indivíduos estagnados pelas dificuldades de comunicação, que os levam para um universo mais visceral onde atitudes humanas e animais se perdem na sua realidade estabelecida. Inspirado em fragmento de texto de Clarice Lispector e em ação da própria escritora, que reescreve seu próprio texto, re-lido entre haspas em outro…

VISUAL ARTV - Inspirado em música de Bethoveen, monólogo de Daniel Kronenberg fala das inquietações do artista






LogoVerbena-branco -peq.jpg

Inspirado em música de Bethoveen, monólogo de
Daniel Kronenberg fala das inquietações do artista


O Compositor Delirante -foto de  -1b.jpgInspirado na vida e obra do compositor austríaco Ludwig van Beethoven, O Compositor Delirante, solo escrito e interpretado porDaniel Kronenbergestreia no dia 29 de junho (quinta-feira), no InBox Cultural, às 21 horas.

Com provocação cênica de Gabriel Bodstein, o monólogo coloca em foco o artista com seus questionamentos. Numa tentativa enlouquecida de organizar sua trajetória, a personagem Beethoven trava discussões políticas, filosóficas e de ordem artística com Mozart, Haydn, Goethe e com o próprio pai, além de outras pessoas imaginárias.

A surdez, a loucura e a necessidade de quebra de paradigmas são as tônicas do espetáculo, costurado pela música do compositor, que permeia toda a encenação, dando cadência e ritmo às argumentações da personagem.

Segundo Daniel Kronenberg, a escolha da música clássica e especialmente a de Beethoven como tema da montagem tem relação com a potência de sua obra e o seu impacto transformador, aliada à sua própria necessidade, como artista, de trazer para o palco apontamentos e questionamentos sobre o artista na sociedade contemporânea. “O espetáculo estabelece uma relação intensa entre os impulsos desse artista, a exemplo de sua inadequação aos padrões socialmente aceitos, mas é importante frisar que ele foi a inspiração. Suas palavras foram alimento para meu discurso autoral”, comenta o ator.

Em meio à solidão e ao escasso traquejo social, a surdez da personagem impede seu contato com o mundo exterior, mas não impede o chamado para exteriorizar a si mesmo: um telefone não para de tocar e o convoca a conversar com outros compositores clássicos e até mesmo com suas amantes. Com seu pai, ele questiona o excesso de rigor de sua criação; com Haydn, indaga sobre uma nova possibilidade de se viver a arte; com Goethe, critica a apatia e a falta de espírito criador, com Mozart, confessa sua inaptidão como compositor; e com suas amantes - Josefina, Julieta e Antonia -, adota seu lado mais romântico, no sentido mais óbvio da expressão. O telefone é um elemento cênico importante que caracteriza a subjetividade da loucura, enclausurada pela surdez.

O espetáculo privilegia o discurso que funde a manifestação artística autoral com a possibilidade de rever condutas e experiências revolucionárias na mudança do pensamento ocidental - o romantismo. O Compositor Delirante mostra que o caráter revolucionário e transgressor do artista permeia um universo onde o romantismo predomina à lógica, a razão perde terreno para a intuição. A encenação é carregada de elementos românticos, seja na figura de Beethoven, com sua insurgência contra as doutrinas retóricas e tradicionais, seja no tom do discurso que adota com suas amantes, seja no argumento revolucionário com que defende o espírito criador do artista, uma lida pacífica com seus próprios demônios.

Daniel Kronenberg - Como assistente de direção, conduziu o projeto Poeta em Cena, em parceria com a Casa das Rosas. Em cinema e TV, atuou em curtas-metragens e na minissérie A Teia (Rede Globo). É autor e intérprete do monólogo teatral O Compositor Delirante, inspirado na vida e obra do compositor Beethoven. Como Seu Molina, seu personagem clown, faz intervenções cênicas urbanas com ênfase no incentivo à leitura. Seu Molina Entrevista é um programa de entrevistas no Youtube, com convidados e temas variados (www.youtube.com/seumolina). Participa de eventos como apresentador, mestre de cerimônias e palestrante, com destaque para os projetos Pra Ler e Espaço de Leitura, no Parque da Água Branca, ambos da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. É também autor do blog http://medium.com/danielkronenberg. Atualmente, prepara a publicação de seu primeiro romance e sua primeira coletânea de contos.

Ficha técnica / Serviço

Concepção, texto e atuação: Daniel Kronenberg
Provocação cênica e preparação corporal: Gabriel Bodstein
Iluminação: Felipe Scalzaretto
Produção: Barzilay & Kronenberg
Fotos: Michael Pablo Bursztein
Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação

Espetáculo: O Compositor Delirante
Estreia: 29 de junho - Quinta, às 21h
Local: InBox Cultural
Rua Teodoro Sampaio, 2355. Pinheiros/SP (Metrô Faria Lima)
Temporada: 29 de junho a 27 de julho. Quintas, às 21h
Ingresso: R$ 40 (meia R$ 20,00)
Bilheteria: 1h hora antes da sessão. Aceita dinheiro e cartão débito/crédito
Reservas: (11) 98266-4896
Duração: 50 minutos. Gênero: Comédia. Classificação: 12 anos 


Assessoria de imprensa: VERBENA COMUNICAÇÃO
Eliane Verbena / João Pedro
Tel: (11) 2738-3209 / 99373-0181 - verbena@verbena.com.br

Comentários