Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - PINA - DOMINIQUE GIGLIOT LE JUMELAGE (A geminação), 2018

VISUAL ARTV - FUNARTE - TEATRO : Talvez seja Amor

Talvez seja Amor


O Coletivo Duo, formado pela atriz Mayara Dornas e pelo ator e diretor Fabiano Lana, estreia no dia 14 de setembro na Funarte - SP o monologo Talvez seja Amor, o primeiro trabalho do grupo. O espetáculo estreou em outubro de 2013 no Teatro SESI HOLCIM de Belo Horizonte.

Durante a temporada na capital mineira em 2014 a peça recebeu indicação na categoria de MELHOR ATRIZ pelo “I PRÊMIO COPASA SINPARC DE ARTES CÊNICAS”- MG/BH e 03 estrelas da Revista Veja BH. Ainda no mesmo ano, participou do “II Festival del Monólogo Latinoamericano y Prêmio Terry” em Cuba, recebendo Menção Honrosa de Atuação Feminina no festival.

O livro “Fragmentos de um Discurso Amoroso” escrito pelo filósofo francês, Roland Barthes, foi o ponto de partida para o grupo dissertar sobre o amor. O espetáculo reflete sobre o posicionamento do ser humano diante da relação amorosa, apresentando ironia, clichês, dramas, contraposições dos discursos amorosos de sete personagens, convidando a plateia a pensar sobre as atitudes em suas relações amorosas.

O trabalho é fruto das pesquisas realizadas pela atriz Mayara Dornas, sobre o ator criador, em diálogo com a pesquisa de Fabiano Lana, sobre projeção mapeada na composição visual da cena. Na criação foi priorizado dois pontos fundamentais, o discurso artístico acessível e a o trabalho corporal da atriz.

SINOPSE: Livremente inspirado no livro “Fragmentos de um Discurso Amoroso” de Roland Barthes, e na exploração dos clichês das relações amorosas, o espetáculo “Talvez seja Amor” apresenta sete mulheres que levantam questionamentos sobre o amor com a dor e a delícia, o encontro e o desencontro de vivê-los.
IMAGEM



FICHA TÉCNICA:
Dramaturgia: Fabiano Lana, Fabiano Rabelo e Mayara Dornas
Direção: Fabiano Lana
Elenco: Mayara Dornas
Produção: Mayara Dornas, Camila Rocha, Juliana Birchal e Jessica Lauriano
Trilha Sonora: Fabiano Lana e Mayara Dornas
Iluminação: Fabiano Lana
Cenário: Fabiano Lana e Mayara Dornas
Figurino: Carloman Bonfim
Arte gráfica e vídeomaker: Fabiano Lana
Fotos: Fabiano Lana, Melissa Oliveira e Fotografia Fabi Araújo
Assessoria de imprensa: Fabio Camara

SERVIÇO:
LOCAL: Funarte – Sala Renée Gumiel (Alameda Nothmann, 1058 - Campos Elíseos).  70 lugares.
DATA: 14/09 até 01/10 (Quinta, Sexta e Sábado 20:30h e Domingo 19:30h) 
INFORMAÇÕES: 11 3662 5177
INGRESSOS: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).
DURAÇÃO: 55 min 
CLASSIFICAÇÃO: 14 anos

EQUIPE: 

Mayara Dornas (atriz)

Atua na área artística como atriz, arte-educadora e produtora. Licenciada e Bacharel em Teatro pela UFMG (2010), Técnica em Teatro pelo CEFAR - Palácio das Artes (2010). Premiada com Menção Honrosa de Atuação Feminina pelo “II Festival del Monólogo Latinoamericano y Prêmio Terry” em Cuba (2014). Indicada prêmio de MELHOR ATRIZ pelo “I Prêmio Copasa Sinparc De Artes Cênicas (2014). Em 2013 publicou o artigo “Corpo Sonoro: Processo De Treinamento Corporal Para A Construção Da Presença Cênica”. Atualmente reside na cidade de São Paulo, e atua como artista orientadora no Programa Vocacional no Teatro Leopoldo Froes, integra o Coletivo DUO e a produtora NaVeia Filmes. Em 2016, integrou o núcleo de pesquisa de atores da Escola de Cinema Inpiratorium e estreou o curta-metragem para web “AMOR RESISTE”, da NaVeia Filmes. Também integrou o Núcleo Demokratz de Teatro Contemporâneo, em Outubro de 2015, para a realização das leituras dramáticas na Funarte SP, do espetáculo “Fassbinder no Outono”, dir. Sheila Faermann. Atuou em vários espetáculos, entre eles o espetáculo “Delírio em Terra Quente” dir. Grupo Espanca! (Grace Passô, Gustavo Bones e Marcelo Castro), o qual a atriz também o produziu no FRINGE (Festival de Teatro de Curitiba).

Fabiano Lana (diretor)

Membro do Coletivo DUO e da UMA Companhia. É formado em Teatro na modalidade Licenciatura, na UFMG (2010). Dirigiu os espetáculos Suspeitos (2014); Don Chicote e seu amigo balança a pança (2013); Talvez seja amor (Coletivo Duo BH - 2013). Produziu e atuou nos espetáculos IMPROCEDENTE (UMA COMPANHIA, direção de Débora Vieira, BH - 2011); DOS GARDENIAS SOCIAL CLUB (UMA COMPANHIA, direção de Débora Vieira, BH - 2011). Atua nos espetáculos: Carvão (CIA DRÁSTICA, BH 2017), A Arca de Vinícius (CYNTILANTE PRODUÇÕES, direção de Fernando Bustamante, BH 2008); MANGA MANGUEIRA MEU PÉ DE BRINCADEIRA, (PROJETO CONEXÃO, GALPÃO CINE HORTO, direção de Chico Pelúcio (Grupo Galpão) e Kênia Dias, BH - 2011). Produziu e coordenou pedagogicamente a ocupação 3.0 FUNARTE de lá pra cá projeto em parceria da UMA Companhia e Cia Drástica.

Comentários