Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - PINA - DOMINIQUE GIGLIOT LE JUMELAGE (A geminação), 2018

VISUALARTV - ESPAÇO PARLAPATÕES - Melodrama da Meia Noite






Melodrama da
 Meia Noite

Comemorando os 10 anos do espetáculo “Melodrama da Meia Noite” a Companhia Melodramática do Rio de Janeiro chega a São Paulo para uma curta temporada a partir do dia 16 de setembro no Espaço Parlapatões.

A peça traz à cena a investigação dos elementos que constituem o gênero teatral nascido na França no século XIX e exportado para o Brasil através do circo e de importantes companhias teatrais. Alguns atores que ajudaram a difundir o gênero no Brasil foram Leopoldo Froes, Procópio Ferreira e Dulcina de Morais, entre outros.

O espetáculo estrutura-se a partir do “jogo do Gaulier”, criado com base na experiência do diretor École Philippe Gaulier em Paris (2008), instituição direcionada à formação de atores. O jogo consiste numa apresentação dos tipos melodramáticos, como o sofredor, o apaixonado e o vilão através de exercícios que estimulam os gestos típicos desses personagens.

Após essa apresentação, conduzida pelo diretor da Companhia, Paulo Merísio, na figura de Monsieur, inicia-se, então, com a antiga brincadeira de “tudo que seu mestre mandar, faremos todos”, a criação improvisada de uma trama, a partir da acusação do ator que fizer uma ação não comandada pelo Monsieur.  

Apreciando temas frequentes no melodrama – conflitos familiares, amores impossíveis, crianças trocadas, revelações, filhos ilegítimos –, os atores executam jogos teatrais baseados no gênero francês. Para dar desfecho à história estabelecida, insere-se o jogo do ‘detetive e assassino”, onde a figura do detetive precisa desvendar as mortes misteriosas que começam a surgir no enredo. Além desses dois novos personagens, surge também a figura do cantor, que enfatiza o caráter musical do melodrama.

Ao fazer a incursão ao clássico, o público se transforma em “povo de Paris” participando ativamente do espetáculo. Durante a encenação, os espectadores podem jogar bolas de meia nos atores caso não gostem da atuação melodramática ou lançar moedas para o palco como elogio à interpretação, além de ter o poder de decidir o destino de personagens que estão sob acusação.

Sinopse:

Espetáculo de improvisação em que os atores executam jogos teatrais com situações melodramáticas. Vilão, mocinho e sofredor desenvolvem a dramaturgia a partir de temas comuns ao gênero – conflitos familiares, amores impossíveis, crianças trocadas, revelações – e fazem o desfecho a partir do jogo do “detetive e assassino”. Durante a encenação, o público, na figura de “povo de Paris”, pode jogar bolas de meia nos atores caso não gostem da atuação melodramática ou lançar moedas para o palco como elogio à interpretação.

FICHA TÉCNICA:

Texto: improvisação coletiva a partir do gênero melodramático
Direção: Paulo Merísio
Elenco: Adriana Albuquerque, Henrique Moretzsohn, Gloria Diniz, Gui Terreri, Leonardo Vasconcelos, Paulo Merísio, Virgínia Castellões e Wesley May.
Participações especiais: Gabriela de Paula, Igor Veloso, Leonardo Paixão, Maria de Maria, Ricardo Augusto e Rita Von Hunty.
Figurinos: Luna Santos
Iluminação: Thiago Monte
Operação de som: Lorrana Mousinho
Fotos: Paulo Henrique Lima e Bia Hebstrith
Assessoria de imprensa: Fabio Camara
Produção: Adriana Albuquerquer, Gloria Diniz e Leonardo Vasconcelos
Realização: Cia. Melodramática do Rio de Janeiro


SERVIÇO:
LOCAL: ESPAÇO PARLAPATÕES – Praça Franklin Roosevelt, 158 – Centro. 98 lugares.
DATA: 16/09 até 28/10 (Sábado 23h59)
INFORMAÇÕES: (11) 3258-4449
INGRESSOS: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)
DURAÇÃO: 70 minutos
CLASSIFICAÇÃO: livre

Comentários