Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - PINA - DOMINIQUE GIGLIOT LE JUMELAGE (A geminação), 2018

VISUAL ARTV - O curso de Psicologia da Universidade Federal de Pelotas, usa "Limiar: Dark Matter" em sala de aula


Posted: 13 Jul 2018 07:05 AM PDT
Turma do quarto semestre do curso de Psicologia da Universidade Federal de Pelotas – RS,utilizando Limiar: Dark Matter em sala de aula, orientado(as) pela Professora Doutora Airi Macias Sacco.
Olá, tudo bem?

Estava ansioso para fazer esse post. O que mais um(a) autor(a) de história em quadrinhos pode querer com suas publicações?

Bem, de acordo com cada autor(a), as respostas serão variadas. No meu caso, especificamente, sempre almejo que meus álbuns alcancem novos(as) leitores(as) e conquiste terrenos ainda rarefeitos para o quadrinho nacional. Penso e já enfatizei isso várias vezes, na importância da imersão que o leitor possa fazer naquelas poucas páginas que foram muito pensadas, antes mesmo do roteiro ter sido escrito ou até mesmo de alguma página ter sido desenhada. 

Sempre gosto da possibilidade que a leitura possa agregar, através da bagagem cultural, social, psicológica e de vida, as mais diversas sensações e sentimentos ao leitor(a). 

Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul, entrou em contato comigo através da Professora Doutora Airi Macias Sacco, solicitando autorização para usar meu quadrinho Limiar: Dark Matter em sala de aula, como apoio para a turma do quarto semestre do curso de psicologia.

Enfim, a revista foi utilizada e recebi o e-mail Doutora Airi, relatando como tudo ocorreu e agora você pode conferir na integra esse lindo texto.

"Luciano,

Quando entrei em contato contigo pedindo autorização para utilizar a revista em sala de aula, com uma turma do quarto semestre do curso de Psicologia da Universidade Federal de Pelotas, não tinha muita ideia sobre como faria para utilizar o material. Quando li a HQ pela primeira vez, me encantaram as múltiplas possibilidades de interpretação que tua obra oferece. Isso está muito relacionado às discussões centrais que travei com a turma na primeira metade do semestre da disciplina de Teorias Humanistas: cada pessoa enxerga a realidade de uma forma e não existem duas pessoas no mundo que experienciem uma mesma situação de maneira idêntica. Qual é então a realidade verdadeira? Será que ela existe? Para as teorias humanistas, isso não importa. Importa apenas como cada um de nós vê o mundo. As teorias humanistas se opõem frontalmente às ideias deterministas e se baseiam na noção de que o ser humano está em constante movimento, e que se constrói a cada instante e em cada relação. Pensei muito quando li Limiar: Dark Matter pela primeira vez.

Bom... Ontem finalmente utilizamos a revista em sala de aula. Eu pedi que os alunos se reunissem em grupos de 5 pessoas para discutir sobre a história e tentar relacioná-la de alguma forma com as ideias que começamos a discutir na segunda metade do semestre, principalmente com a Logoterapia, de Viktor Frankl. Essa teoria está centrada na questão do sentido da vida e na ideia de que o ser humano é um ser incondicionalmente livre (te mando em anexo um pequeno artigo que resume algumas das ideias do autor, caso te interesse).

Não conversamos sobre a HQ antes desse trabalho porque eu não queria ter qualquer influência sobre o debate.  

Os pequenos grupos ficaram absortos na discussão como poucas vezes eu já vi, durante mais de duas horas. Fiquei circulando e ouvindo o que conversavam. Surgiram analogias com o mito da caverna, de Platão; com 1984, de George Orwell, e com Matrix, dos irmãos Cohen. Surgiram teorias sobre as roupas dos personagens. Surgiram teorias sobre os nomes dos personagens. Surgiram teorias sobre tudo, basicamente. Os alunos e alunas esmiuçaram detalhes que eu não tinha percebido nas quatro ou cinco vezes em que li a história. Foi incrível! 

Eles produziram pequenos textos durante a aula mesmo e te mando abaixo trechos que recortei de alguns grupos. Espero que gostes! Em termos didáticos, foi uma das experiências mais legais que já vivi em uma sala de aula e te agradeço muitíssimo por isso e por toda a tua disponibilidade! Te envio em anexo uma foto da turma com as revistas. Vale a pena dar zoom. Assim como ao ler a HQ, cada vez descubro uma coisa nova quando vejo a foto. Essa turma é boa demais! :) 

Forte abraço! 

Airi.

Grupo 1: 
"A história aborda a busca pelo sentido da vida. Amerício é a memória que acompanha Nádio e Carino. Essa memória propõe a busca pelo rompimento com o sistema imposto. Os personagens tentam romper com um estágio de inércia. Vivendo em uma sociedade imposta pelos metais, ou seja, aquilo que nos entorpece (redes sociais, mídia, etc...), romper com essa inércia pode significar liberdade. Pode ser uma escolha ou descoberta de um sentido para viver."

Grupo 2: 
"Quando Amerício deixa de tomar os metais representativos, cria um modelo possível de ser humano. Os metais representativos funcionam como inibidores da dimensão noética porque restringem as qualidades que diferenciam o ser humano dos demais animais, tais como a livre tomada de decisões. Quando o personagem suspende os metais, encontra possíveis caminhos de mudança."
"A mudança é simbolizada pela alegoria da baleia, que representa um processo de passagem. Quando o uniforme apresenta uma baleia formada, denota a mudança concretizada."
"Os personagens não buscaram a felicidade, ma sim a mudança, pois viviam a causa, a tarefa, a revolução."

Grupo 3:
"A intenção dos personagens não é só passar pelo mundo. O propósito, como eles mesmos dizem, é: 'sair deste estado estúpido de inércia'. Esse é o propósito. Engajando-se nele, não só recebem algo do mundo (valor vivencial), mas também ofertam algo ao mundo (valor criativo)."

Grupo 4:
"A sociedade apresentada na história é uma sociedade mantida sob controle (externo) pela ingestão dos metais representativos, que perpetuam um vazio existencial, e isso pode ser visto como uma alusão à nossa sociedade. A escolha de Amerício, de se negar a continuar ingerindo sua dose de metais, gera uma sequência de eventos, a começar pela sua memorização. Essa escolha torna relevante sua atitude essencialmente humana. A seguir, seus dois confrades decidem dar continuidade ao plano do memorizado e tomam uma ação para além deles próprios, dispostos a ir às últimas consequências em memória do amigo. Para trazer à materialidade os seus planos, se utiilizam de Dark Matter, que, segundo a cosmologia, compõe a maior parte do universo. Acreditamos que Dark Matter é um potencializador de ação, algo que permite uma maior possibilidade de escolhas."
"O ato rebelde revela uma forma de executar um sentido de vida. Essa atitude de enfrentamento mostra sua responsabilidade perante os confrades."

Grupo 5: 
"Nádio e Carino têm um sentido para a jornada que irão empretiar: vingar a morte de Amerício. Nesse processo, um outro sentido aparece, que é romper com o status quo. Dessa forma, dois elementos da tríade trágica são contemplados: o sofrimento e a ideia de finitude, causados pela morte de seu confrade, como motor para uma ação maior, responsável. Eles escolhem tomar uma ação contra a realidade totalitária em que vivem, fazendo uso das possibilidades que possuem dentro de sua liberdade, a partir de uma situação de sofrimento, como nas ideias de Frankl."
"A Dark Matter entra como instrumento que traz poderes e, ao mesmo tempo, parece que os faz transcender. 'Estourar no dente' é o refletir. Enquanto os metais representativos trazem a 'felicidade' imediata, individual, e até certo ponto alienante, a Dark Matter está carregada de um sentido maior. Segundo Frankl, a felicidade não será encontrada olhando para si mesmo, e sim na busca de algo externo, que reflita nos outros. Pode-se entender, ao final da HQ, que a felicidade, ou o alívio para as angústias, vem como uma consequência do ato de rebeldia."
"Segundo a ideia de Nietzsche adotada por Frankl em sua Logoterapia, 'quem tem um porquê na vida, suporta quase qualquer como'. Mesmo na realidade de um regime totalitário, se existe um porquê, uma razão, existe um sentido para a vida e pela luta para uma realidade melhor."

Airi M. Sacco

Doutora em Psicologia
Professora Adjunta
Curso de Psicologia - FAMED
Universidade Federal de Pelotas"

🙃 Preciso enfatizar o quanto essa foto representa para o meu trabalho e me deixa feliz?

Registro aqui meu agradecimento a Universidade Federal de Pelotas, a Professora Doutora Airi Macias Sacco e a todo(as) aluno(as) da turma do quarto semestre do curso de Psicologia.

Espero que tenha gostado da postagem lembrando que seus comentários são sempre muito bem vindos.

Um abraço.

Luciano Salles.

Comentários