Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - ‘Dança se Move Ocupa’ traz um mês de ações culturais na Funarte SP

‘Dança se Move Ocupa’ traz um mês de ações culturais na Funarte SP
Organizado por artistas da dança de São Paulo, evento dinamiza o complexo cultural da Funarte, com 26 apresentações de núcleos artísticos, seis debates sobre temas que envolvem a arte e a cultura na atualidade nacional, nove oficinas, JAM de Contato Improvisação, performances, lançamento de livros e sessão de cinema.
                                                                         Foto: Fellipe Oliveira (“situação 3# posição amorosa”)
Entre 11 de novembro e 16 de dezembro, a Funarte São Paulo acolhe o ‘Dança se Move Ocupa’, uma intensa programação artística proposta pelo Movimento A Dança se Move, organização independente da dança contemporânea paulistana, que reúne algumas dezenas de núcleos artísticos, que vêm produzindo pesquisa e obras sempre antenados com os acontecimentos no Brasil e no mundo. Mesmo sem nenhum tipo de apoio financeiro, durante as cinco semanas do evento, os artistas estarão mobilizados com apr…

VISUAL ARTV - TOYOTA – O RITMO DO ESPAÇO" ENTRA EM CARTAZ NO MUSEU DE ARTE BRASILEIRA DA FAAP






TOYOTA – O RITMO DO ESPAÇO" ENTRA EM CARTAZ NO MUSEU DE ARTE BRASILEIRA DA FAAP

Yutaka Toyota.1





Exposição resgata a participação de Toyota no movimento cinético internacional e seu pioneirismo na arte interativa no Brasil

"TOYOTA – O Ritmo do espaço", com curadoria de Denise Mattar, é inaugurada no Museu de Arte Brasileira da FAAP. A mostra propõe um recorte da produção do artista, apresentando cerca de 80 obras, com trabalhos dos anos 1960, uma recriação da instalação imersiva Quarto Escuro, da X Bienal, obras premiadas no Panorama do Museu de Arte Moderna de São Paulo, na década de 1970. A mostra traz ainda obras pertencentes a acervos de instituições como Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Palácio Itamaraty, Coleção Roberto Marinho, além de importantes coleções particulares. Dentro do núcleo histórico, tem destaque um ensaio fotográfico realizado por Alair Gomes sobre a obra de Toyota. A mostra apresenta, ainda, painéis das obras públicas de sua autoria, realizadas entre os anos 1980 e 2010, no Brasil e no Japão e esculturas recentes, de grandes dimensões, concebidas pelo artista especialmente para a exposição.

Trabalho há mais de sessenta anos e durante esse período criei milhares de obras entre desenhos, gravuras, pinturas, instalações, painéis escultóricos e esculturas de todos os tamanhos, desde pequenos múltiplos a imensos monumentos, mas sempre fui fiel às mesmas indagações que me fizeram mergulhar no universo das artes, ainda no Japão. Aos 15 anos recebi, em Yamagata, o primeiro prêmio de pintura no Salão de jovens artistas. Na ocasião o crítico japonês Atsuo Imaizumi me disse: ‘mantenha sempre as mesmas ideias e perguntas interiores assim encontrará sua verdadeira arte e produzirá obras verdadeiramente suas, obras originais’, e foi o que fiz. O que me interessa verdadeiramente é a conexão entre o Homem e o Universo. A cultura ocidental responde a essa questão através da física quântica e a oriental através da espiritualidade. Aceito os dois significados e ambos estão no meu trabalho” diz, Yutaka Toyota.

Na exposição, a curadoria privilegia a produção escultórica de Toyota, estabelecendo seu percurso e as principais questões que permeiam sua obra, sem se ater a uma montagem cronológica. A escolha do Museu de Arte Brasileira da FAAP para a apresentação da mostra em São Paulo reflete uma antiga parceria de Toyota com a instituição que tem em seu campus algumas obras monumentais do artista, integradas ao dia a dia dos alunos. Coincidentemente a mostra chega à cidade, em junho, mês da comemoração dos 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil.

Nos dizeres da curadora Denise Mattar: “Yutaka Toyota faz parte do grupo de artistas que, na década de 1960, decretou o fim da pintura de cavalete e da escultura figurativa, convidando o público a participar de novas experiências estéticas, interativas e sensoriais. Sua obra convoca dualidades: positivo-negativo, visível-invisível, sólido-evanescente, volume-leveza. As múltiplas possibilidades do reflexo são a matéria prima da qual Toyota se utiliza para ‘compreender o significado do espaço’, e, nessa opção podemos apontar um expressivo parentesco da obra de Toyota com a de Anish Kapoor, não por acaso, também um oriental-ocidental”.
 Imagens:
Yutaka Toyota. 4

Yutaka Toyota. 5

Yutaka Toyota.3



Exposição: "TOYOTA – O Ritmo do Espaço"
Artista: Yutaka Toyota
Curadoria: Denise Mattar
Abertura: 23 de junho de 2018, sábado, às 15h
Período: 24 de junho a 02 de setembro de 2018
Local: Museu de Arte Brasileira da FAAP
Endereço: R. Alagoas, 903 - Higienópolis, São Paulo - SP, 01242-902
Telefone: +55 11 3662-7198
Horário de visitação: Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras, das 10h às 19h – última entrada às 18h00 / Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h – última entrada às 17h00 / Fechado às terças-feiras
Entrada: gratuita



Informação para imprensa:
LEAD Comunicação (Rio de Janeiro)
Tel (55 21) 2222-9450 / 9348-9189
BALADY Comunicação (São Paulo)
Tel (55 11) 3814-3382



Yutaka Toyota (14 de maio de 1931, Tendo/Japão)
Artista de renome internacional, pintor, gravurista, designer, escultor. Com mais de 50 anos de carreira, tem atuação em diversos países, suas obras participam das mais importantes coleções e museus do mundo, em locais públicos, criou e executou mais de 100 monumentos. Recebeu grandes prêmios internacionais. Seu trabalho amadureceu nos anos 60 na Itália, participando da corrente ótico-cinética na mesma época de Jesus Raphael Soto, Júlio Le Parc, Edgar Negret, Carlos Cruz-Díez, Enrico Castellani e mestres como Lucio Fontana, Bruno Munari, Victor Vasarely e outros. Incansável, Yutaka Toyota cria e executa suas obras inovando e buscando recriar novos trabalhos, aprendendo novas técnicas e usando os mais recentes avanços tecnológicos com novos materiais é através de novas tecnologias de fabricação.

Comentários