Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança

Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança                                                                                  Foto Leandro Moraes (O Boi Voador)

Em temporada de duas semanas, de 11 a 20/7 (quintas, sextas e sábados, às 19h), a Plataforma Shop Sui apresenta no Centro de Referência da Dança – CRDSP – espetáculo com duas coreografias: a remontagem de “Meu Doce Estimado”, criada originalmente para o Cesta de Dança, projeto da Quasar Companhia de Dança (2012), e o mais recente trabalho, “O Boi Voador”,solo de Fernando Martins, bailarino e diretor da companhia. A entrada é gratuita. “Meu Doce Estimado” fala da relação entre dois indivíduos estagnados pelas dificuldades de comunicação, que os levam para um universo mais visceral onde atitudes humanas e animais se perdem na sua realidade estabelecida. Inspirado em fragmento de texto de Clarice Lispector e em ação da própria escritora, que reescreve seu próprio texto, re-lido entre haspas em outro…

VISUAL ARTV - Museu Mineiro - José Patrício traz sua nova exposição a Belo Horizonte




ARTE

José Patrício traz sua nova exposição a Belo Horizonte
‘Precisão e Acaso’ tem curadoria de Felipe Scovino e abre na quinta (13/9) no Museu Mineiro

O pernambucano José Patrício traz a Belo Horizonte sua nova exposição, Precisão e Acaso. Com curadoria de Felipe Scovino, a mostra reúne um conjunto de cerca de 40 obras produzidas nos últimos sete anos, além de trabalhos do início de sua carreira nunca antes exibidos. A inauguração acontece na quinta (13/9), a partir das 19h, e todos são bem-vindos.

Com uma produção marcada pelo lúdico, Patrício utiliza materiais diversos, desde botões, peças de quebra-cabeças e dados, passando por alfinetes, fios de eletricidade e de telefonia. A partir de componentes frequentemente fadados a desaparecer, alinhava ressignificados: “Trata-se da apropriação de elementos modulares encontrados na vida cotidiana. Interessam-me na medida em que contribuem para compor as obras a partir da acumulação, deslocamento das funções originais e inserção no contexto da arte”, diz o artista.

Para Felipe Scovino, Precisão e Acaso pode ser compreendida como uma espécie de antologia: “A mostra traz ao público as fases mais recentes da produção do artista; o seu interesse por novos materiais; suas pesquisas cromáticas e cinéticas. Estão entre as características centrais de sua obra a ampliação do termo construtivo, o caráter lúdico e participativo e a ideia de coleção ou arquivo de materiais cada vez mais difíceis de serem encontrados”, explica o curador.

Os conceitos de diferença e repetição conduzem os trabalhos realizados nos últimos anos, nos quais Patrício cria estruturas fixas que se tornam passíveis de variação formal a partir dos elementos que as compõem e das inúmeras possibilidades de configuração. Para criá-las, o artista partiu de regras e métodos adotados com precisão a fim de atingir um resultado final desconhecido. Precisão e Acaso resume o caminho entre esses dois pólos aparentemente antagônicos: “O trabalho se faz pela qualidade em ser dinâmico, veloz e mutante. A obra é, portanto, um acontecimento em que estamos constantemente envolvidos por escolhas, caminhos, formas e cores que induzem movimentos, traços, rumos e territórios”, diz Scovino.

O ARTISTA

José Patrício nasceu no Recife, em 1960. Estudou ciências sociais na Universidade Federal de Pernambuco e é Mestre em Artes Visuais pela mesma instituição. Já expôs em países como Alemanha, França, Estados Unidos e Cuba, entre outros. Seus trabalhos integram coleções de instituições como Fondation Cartier pour L’Art Contemporain (Paris),
Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Recife), Museu de Arte de Brasília,
Coleção Marcantonio Vilaça, Museu de Arte Moderna (Rio de Janeiro),
Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo) e Washington Convention Center (EUA).

SERVIÇO
Precisão e Acaso  - exposição de José Patrício
Inauguração: 13/9/18 (quinta-feira), às 19h
Visitação (entrada franca): até 11 de novembro de 2018
Terça, quarta e sexta das 10h às 19h; quinta das 12h às 21h e sábado, domingo e feriados das 12h às 19h).
Classificação etária: livre
Onde: Museu Mineiro (Av. João Pinheiro, 342, Funcionários, Belo Horizonte).
Informações e agendamentos: (31) 3269-1106 e (31) 3269-1103

ENTREVISTAS E IMAGENS
Tatiana Diniz // Assessoria de Imprensa


Comentários