Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

VISUAL ARTV - Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança

Plataforma Shop Sui dança dois novos trabalhos no Centro de Referência da Dança                                                                                  Foto Leandro Moraes (O Boi Voador)

Em temporada de duas semanas, de 11 a 20/7 (quintas, sextas e sábados, às 19h), a Plataforma Shop Sui apresenta no Centro de Referência da Dança – CRDSP – espetáculo com duas coreografias: a remontagem de “Meu Doce Estimado”, criada originalmente para o Cesta de Dança, projeto da Quasar Companhia de Dança (2012), e o mais recente trabalho, “O Boi Voador”,solo de Fernando Martins, bailarino e diretor da companhia. A entrada é gratuita. “Meu Doce Estimado” fala da relação entre dois indivíduos estagnados pelas dificuldades de comunicação, que os levam para um universo mais visceral onde atitudes humanas e animais se perdem na sua realidade estabelecida. Inspirado em fragmento de texto de Clarice Lispector e em ação da própria escritora, que reescreve seu próprio texto, re-lido entre haspas em outro…

VISUAL ARTV -GALERIABASE - NOVA COLETIVA DA GALERIA BASE REÚNE 15 ARTISTAS NORDESTINOS

o olho que aponta




logo.base.jpg

NOVA COLETIVA DA GALERIA BASE REÚNE 15 ARTISTAS NORDESTINOS 

"O olho que aponta não é o mesmo que vê” destaca uma produção brasileira que dialoga entre si através de um ponto de vista regionalista e de uma linguagem contemporânea 


A Galeria Base inaugura "O olho que aponta não é o mesmo que vê", composta por 32 obras – colagens, desenhos, gravuras, fotografias e pinturas - de Abraham PalatnikAlmandrade, Antônio Dias, Christian Cravo, Emanoel Araújo, Falves Silva, José Cláudio, José Rufino, Macaparana, Marcelo Silveira, Márcio Almeida, Marco Ribeiro, Mário Cravo Neto, Montez Magno e Sérvulo Esmeraldo, sob curadoria de Paulo Azeco. A coletiva toma como referência o conceito de Hipermodernidade proposto pelo filósofo francês Gilles Lipovetsky, e subvertendo qualquer noção regionalista, reúne 15 artistas nordestinos de gerações distintas, os quais, cada um à sua forma, apresentam uma arte global, contemporânea e contextualizada. 

Tomando a Hipermodernidade como um enaltecimento da cultura moderna, dos novos meios de comunicação em massa, e especialmente da ideia equivocada de estar cada vez mais conectado, enquanto a solidão continua sendo o sentimento maior, notamos que a produção desses artistas do Nordeste brasileiro está alinhada com este conceito. Neste sentido, o curador destaca: “Muitos dos artistas da exposição possuem fortes carreiras internacionais, provando que comunicação de massa e a aldeia global pode sim ser de grande valia na produção artística. Contudo, é importante ressaltar que isso é valido quando o olho presta atenção em si mesmo antes de enxergar o mundo e, nisso, os nomes dessa exposição fizeram com maestria. Uma exposição de artistas conterrâneos que abraça um mundo”.


Press release completo, anexo.




O Olho que aponta (4).jpg
Cícero Dias, "Figura na Janela" (década de 1940)


  

o olho que aponta



Exposição: "O olho que aponta não é o mesmo que vê" 
Artistas: Abraham PalatnikAlmandrade, Antônio Dias, Christian Cravo, Emanoel Araújo, Falves Silva, José Cláudio, José Rufino, Macaparana, Marcelo Silveira, Márcio Almeida, Marco Ribeiro, Mário Cravo Neto, Montez Magno e Sérvulo Esmeraldo 
Curadoria: Paulo Azeco 
Coordenação: Fernando Ferreira de Araújo e Daniel Maranhão 
Abertura: 20 de outubro de 2018, sábado, das 15 às 18h  
Período: 22 de outubro a 23 de novembro de 2018 
Local: Galeria Base www.galeriabase.com/  
Endereço: Av. 9 de Julho, 5593/11 – Jardim Paulista - São Paulo/SP 
Telefone: (11) 3071-3614  
Horários: Terça a sexta-feira, das 14 às 19h; Sábados, somente com agendamento - contato@galeriabase.com.br




Zeca Florentino
---
Balady Comunicação
Tel.: 11 3814.3382

Comentários