Pular para o conteúdo principal

POSTAGEM EM DESTAQUE

Núcleo Pé de Zamba estreia “SerTÃOmar” em circulação pela cidade





Núcleo Pé de Zamba estreia “SerTÃOmar”
em circulação pela cidade



image.png
                                                                                                                                                                                                                                            Foto Paulo Cesar Lima 

Em setembro, o Núcleo Pé de Zamba estréia o espetáculo de dança contemporâneo-brasileira “SerTÃOmar”, fruto do aprofundamento da pesquisa do grupo em torno da ancestralidade negra no Brasil, a partir da cosmogonia bantu, fazendo uma generosa circulação por espaços públicos situados nas várias regiões cidade de São Paulo.
As três primeiras apresentações acontecem na Zona Leste – no dia 11/9, às 14h30, na Fábrica de Cultura Sapopemba; no dia 12, também às 14h30, na Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes; e de 13 a 15 (sexta e sábado, 20h, domingo, 19h), no Teatro Flávio Império, em Cangaíba. Na Zona Sul, o espetáculo ocupa a Fábrica de Cultura Capão Redondo, nos dias 18 e 19, às 15h.  Em dois finais de semana consecutivos (dias 20 e 21, 27 e 28 - sextas, 20h; sábados, 18h), “SerTãoMar” é acolhido pela Oficina Cultural Oswald de Andrade, no Bom Retiro, região central; e, no interim dessas apresentações, vai para a Casa de Cultura Vila Guilherme (Casarão), na Zona Norte, no dia 22/9, às 20h, e para o MAM - Museu de Arte Moderna de São Paulo, no Parque Ibirapuera, no dia 26 (quinta-feira), às 15h.
A  ideia de “SerTÃOmar” nasceu ainda no processo de pesquisa e criação do espetáculo anterior, “A cruz que me carrega”, quando as referências ao mar presentes na corporalidade, lendas e canções encontradas no Congado Mineiro intrigaram o Núcleo Pé de Zamba. “Afinal, para grande parte daquelas comunidades, o mar nunca tinha sido uma realidade concreta”, comenta Andrea Soares, diretora no Núcleo.
Contemplado pelo 25º Edital de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo, o Núcleo ampliou o recorte de pesquisa para o Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, estado que concentra hoje o maior legado das culturas bantu no Brasil, e foi a campo para entender em que medida o olhar ancestral destas culturas para a existência humana ainda habita cotidianos, imaginários e crenças das populações locais.
“SerTÃOmar” se debruça sobre o conceito da Kalunga, linha das águas que divide o mundo em que vivemos (Nseke) e o mundo onde vivem nossos ancestrais (Mpemba), para revelar, desde os recônditos  de Minas Gerais, algo muito além destas memórias de mar: as humanidades diversas que são faces de um Brasil profundo, negro e esquecido, mas que está na base de tudo o que somos.
A entrada é sempre gratuita

Fotografias: SerTão Mar Pé de Zamba - Foto Paulo Cesar Lima






___________________________
Serviço:
“SerTÃOmar” – Núcleo Pé de Zamba – circulação de estreia
11/09 (quarta), às 14h30 – Fábrica de Cultura Sapopemba – Z. Leste
R. Augustin Luberti, 300 – Fazenda da Juta
(11) 2012-5803 

12/09 (quinta), às 14h30 – Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes – Z Leste
Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 - Conj. Hab. Fazenda do Carmo
(11) 2556-3624
13, 14 e 15/09 (sexta e sábado, às 20h; domingo, às 19h) – Teatro Flávio Império – Z. Leste
R. Prof. Alves Pedroso, 600 – Cangaiba
(11) 2621-2719
18 e 19/09 (quarta e quinta), às 15h – Fábrica de Cultura Capão Redondo – Z Sul
 Rua Bacia de São Francisco - Conj. Hab. Jardim Sao Bento, São Paulo - SP, 05885-540
(11) 5822-5240
20, 21, 27 e 28/09 (sextas, 20h; sábados,18h) – Oficina Cultural Oswald de Andrade – Centro
Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro
(11) 3222-2662
22/09 (domingo), às 20h – Casa de Cultura Vila Guilherme – Z Norte
Praça Oscár da Silva, 110 - Vila Guilherme
(11) 2909-0065
26/9 (quinta-feira), às 15h – MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo
Parque Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° - Vila Mariana
  
Duração: 60 minutos | Classificação indicativa: livre
Grátis

Ficha técnica:
Concepção e direção: Andrea Soares | Direção Musical: Leandro Medina | Elenco: Andrea Soares, Jô Pereira, Leandro Medina, Raphael Gomes e Wellington Campos | Orientação da Composição dramatúrgica: Valéria Cano Bravi |Trilha Sonora: Leandro Medina, Raphael Gomes e Andrea Soares (livremente inspirada em canções de domínio público) | Preparação Corporal: Daniela Augusto (Gyroknesis e Pilates), Karen Müller (Eutonia), Wellington Campos e Kanzelumuka (Danças Afro-brasileiras) | Preparação Vocal: Fernanda de Paula | Preparação em percussão afro-brasileira: Ari Colares | Assessoria teórica afro-bantu: Rafael Galante | Assessoria em estudos e práticas do Imaginário: Andrea Cavinato | Provocadores teóricos-práticos: Eloisa Domenici, Deise de Brito, Frei Chico, Gal Martins, Ivan Bernardelli, Luiz Ferron, Rafael Galante, Renata Lima, Ricardo Neves, Rubens de Oliveira e Yáskara Manzini | Concepção/produção de Figurino, Adereços e Cenário: Marcondes Lima e Andrea Soares | Iluminação: Fernando Melo | Designer Gráfico: Felipe Pardini | Fotografia: Paulo César Lima | Registro audiovisual e teaser: Sylvia Sanches | Registro audiovisual do Mini-doc: Kelson Barros | Roteiro: mini-doc: Sylvia Sanches | Edição do mini-doc: Mariana Barone | Produção executiva: Kelson Barros / Cazumbá Produções Artísticas | Assistente  de  produção: Dafne Nascimento.


Informações adicionais:
Elaine Calux – assessoria de imprensa
11 33689940 | 964655686  

Comentários